O que é bilinguismo?

//O que é bilinguismo?

O aprendizado e desenvolvimento de uma língua é um processo complexo influenciado por inúmeras variáveis. Aspectos linguísticos, emocionais, ambientais, motores, cognitivos, sociais e psicológicos afetam a aquisição de uma língua e influenciam diretamente cada etapa dessa jornada. O desenvolvimento da primeira língua, também chamada de língua materna e língua nativa, dá-se de forma natural e espontânea, e está associada à necessidade da criança socializar, expressar vontades e suprir suas necessidades e desejos. O aprendizado de um segundo idioma ocorre de maneira diferente e é influenciado por fatores como idade, exposição à língua e o uso da mesma, necessidade, motivação, aptidão e interesse.

Mas, será que apenas aprender uma segunda língua torna uma pessoa bilíngue?

Quantas pessoas conhecemos que investiram tempo e dinheiro para o aprendizado de um idioma, e, mesmo após anos se dedicando, ainda apresentam dificuldade no uso da língua? Tornar-se bilíngue é objetivo de muitos, mas afinal, o que significa bilinguismo e o que é ser bilíngue?

O bilinguismo engloba diversos fatores e, devido à complexidade do processo, é difícil encontrar uma única definição que o descreva e que o explique. No entanto, de uma forma geral, há consenso entre os linguistas e especialistas no assunto que o bilíngue é capaz de se comunicar com clareza em duas línguas. A pessoa é considerada bilíngue quando ela se sente confortável e segura para usar as duas línguas em diferentes contextos e ambientes. Isso inclui o uso de ambos os idiomas em contextos acadêmicos, profissionais e sociais, podendo ser formais ou informais.

Então isso significa que a pessoa bilíngue é igualmente fluente em duas línguas?

A resposta é não. Geralmente, a maioria dos bilíngues é mais fluente em um dos idiomas, que é chamado de dominante. A exceção ocorre quando a criança é exposta aos dois idiomas com a mesma intensidade e frequência desde antes dos dois anos de idade. Neste caso, a criança bilíngue possui duas primeiras línguas e é igualmente proficiente em ambas. Assim, há casos em que a criança possui duas línguas dominantes. Vale ressaltar que há diversos tipos de bilinguismo que variam significantemente na sua definição, processo e resultados, e que serão futuramente abordados e explicados aqui no Sproutly.

É importante ressaltar que tornar-se bilíngue vai além de ter conhecimento de uma segunda língua, e tampouco significa traduzir palavras, frases e expressões de um idioma para o outro. Bilinguismo engloba a capacidade de pensar em duas línguas e de usá-las em ocasiões variadas. É também a habilidade de trocar de uma língua para outra enquanto comunica-se (code switching), e confiança para usar palavras, termos e expressões de forma adequada. Bilinguismo é, portanto, a habilidade de falar, ler, escrever e compreender duas línguas com eficiência.

Mas o que é preciso para tornar-se bilíngue?

Dois fatores são importantes: a qualidade e a quantidade da exposição à língua (input), bem como o uso e prática da mesma (output), e o tempo e dedicação investidos no processo de aprendizagem da segunda língua. Outras variáveis também influenciam e serão discutidas futuramente. Para maximizar as oportunidades e enriquecer as experiências durante esse processo, a escolha de uma escola de inglês ou método de ensino é fundamental. É importante que a instituição ofereça input de qualidade e oportunidades consistentes para output. Quanto mais o segundo idioma for usado não só na sala de aula entre professores e alunos durante a instrução, mas também entre os alunos durante as interações propostas e na comunicação visual e oral da escola, mais oportunidades de input e output são gerados. Murais, pôsteres, mensagens, placas de sinalização etc., beneficiam o aluno se forem feitas na segunda língua. Dessa forma, a exposição ao segundo idioma ocorre tanto formalmente, através da instrução direta em sala de aula, como informalmente e indiretamente, no ambiente ao redor. Essa estratégia maximiza a exposição à língua de maneira significativa e autêntica, favorecendo o processo.

Bilinguismo não é um bicho de sete cabeças e pode ser uma realidade!

Se você quer saber mais sobre esse assunto, leia este artigo, que aborda os principais mitos e verdades sobre o bilinguismo.

By |2016-02-01T11:51:48+00:00fevereiro 1st, 2016|Fundamentos|3 Comments

About the Author:

3 Comments

  1. Regina Maciel 27 de fevereiro de 2016 em 06:25 - Responder

    Parabéns, Nina!

    • Nina Stocco 28 de fevereiro de 2016 em 11:02 - Responder

      Olá Regina! Obrigada por deixar seu comentário! Continue de olho nas novidades do site, das nossas redes sociais, e do nosso Podcast! Preparamos muitas coisas bacanas para compartilhar com nossos leitores e ouvintes! Espero que aproveite!
      Um abraço, Nina

  2. Déborah Marinho de Carvalho Ortega 27 de julho de 2018 em 10:19 - Responder

    Apreciei muito a leitura dos textos sobre informações a respeito do Bilinguismo. Sou coordenadora pedagógica em uma escola e estou colhendo dados para convencer a direção de implantarmos o Bilinguismo na escola, pois acredito que fará uma enorme diferença para os alunos.

Deixar Um Comentário

This Is A Custom Widget

This Sliding Bar can be switched on or off in theme options, and can take any widget you throw at it or even fill it with your custom HTML Code. Its perfect for grabbing the attention of your viewers. Choose between 1, 2, 3 or 4 columns, set the background color, widget divider color, activate transparency, a top border or fully disable it on desktop and mobile.

This Is A Custom Widget

This Sliding Bar can be switched on or off in theme options, and can take any widget you throw at it or even fill it with your custom HTML Code. Its perfect for grabbing the attention of your viewers. Choose between 1, 2, 3 or 4 columns, set the background color, widget divider color, activate transparency, a top border or fully disable it on desktop and mobile.