Todo início de ano traz consigo algumas inquietudes e ansiedades – um nervosismo que aflige professores novatos e experientes, pais e alunos. Essa sensação pode ser ainda mais intensa quando se trata da escola bilíngue. Este cenário de ansiedade geralmente ocorre porque muitos pais e professores estão embarcando na jornada do bilinguismo pela primeira vez. Ou então, porque não tiveram a oportunidade de frequentar escola bilíngue ou, inclusive, há os que não dominam bem a segunda língua. É importante lembrar que os pais escolhem a escola bilíngue por diversas razões e que, naturalmente, têm expectativas sobre esse tipo de educação. Mas isso não é motivo para você ficar preocupado ou inseguro sobre a primeira reunião, ou outros encontros, que terá com esses pais. É importante encarar o momento como uma oportunidade para mostrar que você, especialista no assunto, sabe o que está fazendo e está preparado para auxiliar os alunos durante o processo de aprendizagem do segundo idioma. Preparamos uma lista com 10 dicas de como formatar e conduzir uma reunião de pais na escola bilíngue:

Descubra quanto tempo você terá para esse encontro.

Deixe sempre uns 10 minutos no final para responder às perguntas e dúvidas dos pais presentes. Não se esqueça de verificar se a reunião deverá ser conduzida em português ou na segunda língua. Cada escola possui uma formalidade para isso. Esteja preparado.

Deixe a ansiedade de lado.

Prepare uma boa pauta, pratique em casa na frente do espelho ou com um colega, peça ajuda aos parceiros de profissão. Isso vai te deixar mais seguro e permitirá que você conduza a reunião com tranquilidade e demonstre seu conhecimento e comprometimento com o assunto. Além disso, essa é uma excelente oportunidade para você ajustar o que precisa falar dentro do tempo estipulado.

Apresente-se dizendo seu nome e sobrenome.

Se tiver um apelido e gostaria de ser chamado por ele, esse é o momento de compartilhar. Lembre-se de verificar antes com a escola qual é o protocolo para isso. Algumas escolas, principalmente as bilíngues, possuem algumas regras para determinar como os professores devem ser chamados – Ms. ou Mr. Sobrenome; Ms. ou Mr. Apelido; Ms. ou Mr. Primeiro Nome; somente primeiro nome, etc.

Fale da sua formação acadêmica e da sua experiência.

Não é necessário compartilhar todos os detalhes do seu currículo, mas é importante mencionar em que você é formado e os principais cursos de especialização que você já tenha feito e que são relevantes para o bilinguismo. Isso vai deixar os pais tranquilos e confiantes de que os filhos estão em boas mãos, e de que você está preparado.

Fale um pouco sobre o processo de aquisição da primeira língua

Lembre os pais de que a criança demora um, dois ou até três anos para falar na língua materna. Ressalte que não é realista esperar que a criança comece a fazer uso do segundo idioma em poucos meses. Se tiver tempo, compartilhe com os pais algumas informações sobre as etapas vivenciadas no processo bilíngue. Costumo sempre orientar os professores a introduzir o assunto mencionando o ‘período de silêncio’. É importante que os pais saibam que esse momento provavelmente será vivenciado pelo seu filho. Depois, informe os pais sobre o desenvolvimento sequencial da aprendizagem da segunda língua, cujas etapas são:

    1. Quando a criança entra em contato com a segunda língua. É normal que ela continue usando a primeira língua mesmo depois que a segunda foi introduzida (bilinguismo incipiente). Nessa fase não há tentativa nenhuma de usar o segundo idioma.
    2. Ainda em silêncio, a criança começa um intenso trabalho mental tentando entender o que está acontecendo ao seu redor. É normal que ela se torne mais observadora nesse período, pois está procurando fazer sentido da segunda língua e prestando atenção aos estímulos causados por ela (bilinguismo receptivo).
    3. Nessa etapa, palavras soltas de grande frequência começam a ser usadas na segunda língua. Depois, a criança junta duas ou três palavras e, então, finalmente começa a reproduzir frases prontas (bilinguismo produtivo).
    4. Agora a criança começa a testar diferentes estruturas frasais e se torna mais confiante no uso da língua. Ideias completas e mais complexas já podem ser compartilhadas. Daqui em diante, a criança já está familiarizada e confortável com o idioma.

Agora é só investir no seu desenvolvimento! Aproveite esse gancho para informar aos pais o que pode haver mudança de humor e comportamento em qualquer momento do processo. Aconselhe o pai a procurá-lo se houver muitas reclamações sobre a escola.

Comunique aos pais como a segunda língua será introduzida.

Conte para eles quais atividades e recursos serão utilizados na sala de aula e nos outros ambientes da escola (músicas, filmes, rimas, jogos, histórias etc.). Se possível, exemplifique com atividades reais que serão usadas na sua sala.

Valorize a primeira língua da criança

Afinal, é através dela que o novo código linguístico e esquemas cognitivos referentes à segunda língua serão construídos. Informe aos pais que, às vezes, há a interferência da primeira língua na aprendizagem e desenvolvimento da segunda. Essa fase é chamada de interlíngua – em inglês, interlanguage – ou seja, é uma linguagem que está em pleno desenvolvimento e que encontra-se momentaneamente em transição entre um idioma e outro.

Compartilhe com os pais algumas dicas de como ajudar em casa.

Estimule-os a participar do processo vivenciado pelo filho, envolvendo-se e mostrando interesse. Pais que demonstram disposição em saber das experiências do filho criam um vínculo muito mais forte com ele. Encoraje os pais a aprenderem juntos, valorizarem as conquistas da criança, compartilharem sua própria experiência com ela. Livros, músicas, jogos, brinquedos e aplicativos especializados são recomendados em doses razoáveis. Oriente aos pais que evitem sobrecarregar a criança no ambiente doméstico.

Forçar a barra não é saudável.

Lembre os pais que forçar a barra, comparar o filho com outras crianças e colocar expectativas muito altas não é saudável e nem acelera o processo. É preciso calma e cumplicidade entre o professor e os pais para que os benefícios sejam sempre da criança. Mostre-se aberto e disponível para discutir essas questões em uma reunião num outro momento.

Demonstre amor e carinho com a profissão.

Fale devagar, evite termos muito técnicos, escolha palavras apropriadas. Não exponha os alunos (seus ou de outros professores), nem seus colegas de profissão. Fique tranquilo e lembre-se: você é a especialista em educação bilíngue!

Se você gostou dessas dicas, compartilhe em suas redes sociais e não deixe de acompanhar as novidades semanais do Sproutly. Se ficou com alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo ou entre em contato com a sua pergunta sobre esse tema.

By |2016-08-01T10:35:15+00:00agosto 1st, 2016|Dicas Práticas|0 Comentários

About the Author:

Deixar Um Comentário

This Is A Custom Widget

This Sliding Bar can be switched on or off in theme options, and can take any widget you throw at it or even fill it with your custom HTML Code. Its perfect for grabbing the attention of your viewers. Choose between 1, 2, 3 or 4 columns, set the background color, widget divider color, activate transparency, a top border or fully disable it on desktop and mobile.

This Is A Custom Widget

This Sliding Bar can be switched on or off in theme options, and can take any widget you throw at it or even fill it with your custom HTML Code. Its perfect for grabbing the attention of your viewers. Choose between 1, 2, 3 or 4 columns, set the background color, widget divider color, activate transparency, a top border or fully disable it on desktop and mobile.